Pai presente!

No momento que o meu marido descobriu que seria pai,tentou participar desde o inicio , quando ainda nem se quer conseguíamos diferenciar um pontinho de um feto,sabia que era complicado ele sentir todo o amor que eu já sentia pela minha 'barriga' , mas fazia de tudo para tentar passar o que eu estava sentindo,com isso aos poucos ele vibrava com cada novidade , com o descobrimento do sexo, já chamava carinhosamente pelo nome, com as mexidinhas , ele já brincava e assim conseguia se introrsar mais com a gestação.

Nada se compara com o nascimento do bebê e a relação com os pais , no inicio tudo é dependente da mãe , o que não que dizer que o pai não possa ajudar ou compartilhar do mesmo momento , com o passar dos dias a mãe pode delegar diversas funções e assim ajuda-lo a ser presente na criação e no desenvolver do filho.

Meu marido se faz presente em tudo que seja relacionado a Vitória, vai a todas as consultas, da banho, troca fralda,da o leite , coloca pra dormir , papinhas, brinca , conta história , faz imitações e uma serie de outras coisas. Lógico que por trabalhar fora tem menos tempo de vivenciar algumas situações , porém não deixa de participar no dia a dia mesmo com tempo corrido,já cheguei a ligar o viva a voz para que ambos pudessem "conversar" não eu não estou louca,hahahah.

Acredito que um filho que cresce com pais 'preocupados' e amorosos cresce seguro de si,sem contar que será uma criança feliz consigo mesma.
Por isso se o seu marido é daqueles que da palpite em tudo que diz respeito ao filho , ótimo! Sinal que é um pai presente e participativo , se o seu marido do jeito dele tenta se fazer presente,ajude-o a ser mais e aos poucos ele estará entrosado com assuntos ao qual não imaginaria.Já se o seu marido não faz questão de ser participativo e não se importa em dividir momentos importante na vida do bebê, passou da hora de terem uma conversinha e ver como isso pode ser modificado.

Fiz esse post apenas para compartilhar com vocês algo que li e achei importante.

“[...] Na relação estabelecida entre o pai e o bebê é muito mais 
que apenas um interesse em alimentar, trocar, ou tomar conta 
do bebê. É cuidar e colocar-se no lugar do bebê, perceber e 
responder às suas necessidades físicas e emocionais. O bebê 
é poderosamente influenciado por este investimento emocional 
dos pais” (BORSA, 2007, p. 318)


Beijos,
Manú
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Ter um pai presente para seu bebê é
    ótimo! Graças a Deus, o pai de Alice (minha filha) é presente demais. Faz de um tudo!

    Amei o texto Manu :)
    Beeeeeijos ><

    ResponderExcluir
  2. Seu blog está lindooooooo o lay é muito legal e criativo vc está fazendo um ótimo trabalho!
    Beijokas continue assim!!
    biaalini.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. KKK, Você não tá sozinha. Eu tenho uma filha de 10 meses e desde os 7 eu coloco ela no telefone com o pai, ela já tá tão acostumada que toda vez que pega um celular começa a "falar".

    ResponderExcluir

Comenta aí amiga!